O crédito consignado pode ser uma boa opção para quem está no vermelho e precisa se livrar de dívidas mais caras, como o cartão de crédito ou o cheque especial. Mas, apesar de ter taxas de juros mais baixas, essa modalidade de empréstimo, em que as parcelas são descontadas automaticamente da folha de pagamento, não pode ser utilizada sem planejamento. Como qualquer empréstimo, é preciso avaliar sua real necessidade e o impacto no orçamento familiar.

O primeiro passo é fazer uma análise detalhada da situação financeira. “Tem que colocar no papel todos os gastos e descobrir porque chegou nessa situação de descontrole”, diz a educadora financeira Cintia Senna.

Depois de encontrar a causa do problema, o segundo passo é mudar os hábitos. “Não adianta tomar um empréstimo para resolver um problema imediato, mas não mudar o comportamento. Em poucos meses a pessoa estará endividada de novo”, diz.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

*